quinta-feira, 12 de maio de 2016

TEMER DIVIDE PREVIDÊNCIA SOCIAL E PODERÁ TER PROBLEMAS PARA ALCANÇAR SEUS OBJETIVOS.

Publicado no DOU de hoje o novo esqueleto do governo, chamou atenção uma escolha equivocada, em nossa opinião, que o governo fez em relação à previdência social.

Temer dividiu a banda "podre" da previdência social, ou seja, o INSS (autarquia com maior número de servidores, envolvida em zilhões de processos judiciais, conflitos internos, etc), que foi para o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário ("Ministério Social") da banda "boa" da previdência social (Previc, Dataprev, CRPS, etc) foi para o Ministério da Fazenda.

Ou seja, Temer deixou a "política" pra Fazenda e o "operacional" pro "Ministério Social". Num imaginário que as políticas ficariam na Fazenda e os conflitos e problemas do INSS com o MDS. Também retiraram o termo "social" do CRPS e do CNPS (Recursos e Conselho Nacional).

O problema é que nesse cenário o INSS vai ficar sem pai. Um ministro com viés social vai nomear os cargos do INSS e outro ministro com viés econômico vai elaborar as políticas? E o Conselho Nacional e o de Recursos vai ficar na Fazenda recebendo e mandando na autarquia do outro ministro?

Quem tem dois pais não tem nenhum. Ou revê-se isso ou temo que cagada será grande e tóxica para o neonato governo.

19 comentários:

Firmino disse...

A emenda saiu pior que o soneto...

saude disse...

otário, o problema será nosso, seu batedor de panelas

Unknown disse...

Nervoso, "saude"?

Agronews disse...

Era a parte que faltava na Fazenda, a complementar era a única fonte de captação de recursos. E tiro no pé, mas no nosso. Para o estado é uma jogada de mestre, pegaram toda a arrecadação. A única coisa certa a fazer é educar os filhos para não serem servidores públicos (quer nível superior ou médio) como opção única de trabalho.

Leão de Alhambra disse...

Ué... Nao tinha raiado o sol da liberdade?! Bora pro SOCIAL e pra roça ou achou que iria pra Fazenda?

Agronews disse...

Ou, existe algo que vc não esta vendo. Porém, vamos esperar pra verificar. Pode ser que estejamos no local certo. Podemos até fazer história. Pois, na fazenda, O INSS é mais um. No Social, podemos ser a bola da vez.

Gil disse...

uai...mas não eram vcs que estavam amando o Temer...chupa essa manga agora..rs

Júlio César disse...

vocês estão em que banda mesmo? rsrsr

Eliane Raul disse...

Por que não colocar o inss no ministério da Fazenda? Quem sabe nós peritos ganharíamos isonomia salarial com os auditores da Receita Federal. Esse deveria ser o nosso objetivo maior. Aí estaríamos no paraíso. É a minha opinião, mas posso estar equivocado. O que acham?

Eliane Raul disse...

Seria melhor irmos para o poderoso ministério da Fazenda.

Iacob A. von Hohenstaufen disse...

Torço para que o Governo Temer dê certo e tire o Brasil da lama em que os petistas o jogaram!

marcelo pereira disse...

Ai....

marcelo pereira disse...

Ai....

marcelo pereira disse...

Ai o "digno" pensa,em meio a tudo isso, em equiparar salario com auditor....fez duas provas bem equivocadas...a primeira pra ingressar na faculdade de Medicina e anos depois cagar no juramento de Hipócrates....depois faz concurso pra seguridade SOCIAL...triste....ainda bem q se chama concurso PÚBLICO. Quem quer trabalhar de fiscal do bandido eh soh fazer a prova 😉

marcelo pereira disse...

Exato....isso que importa...seja temer ou qualquer outro.

Bethgirl disse...

Alguém consegue ver a formalização da privatização? Essa pedra vem desde 1990 com FC depois FHC. O INSS não tem finalidade assistencial. Usam-nos por conta da "capilaridade". Mas a verdade é por falta de competência em "controle". Fato que também não temos muito. O rombo da Previdência está na sua judicializacao, fraudes absurdas que são detectadas e formalizadas, mas por interesse de muitos, não serão resolvidas. Se a parte assistencial fosse acompanhada de uma valorização dos profissionais do INSS, sem problemas. Mas o fato é que LOAS, defeso, bolsa família, talvez emissão de CPF já estão ou virão, só como carga, sem bônus. O contribuinte concorre, injustamente, com vagas destinadas à todos. Isso sim, tem de ser discutido conosco e a população contribuinte. Mais uma vez, o joio fica e o trigo vai. Lembram de 2005? A Super Receita? Pois é... Continuação. Quem é dos tempos do INPS e IAPAS, vai lembrar tb das dificuldades existentes já naquela época. E nem havia tanta informatização e compartilhamento de informações. Sou do INSS, e não aceito ir para o MDSA onde nem há nossa inclusão no nome do órgão. Se nem o Ministro sabia que íamos pra lá, pois a decisão foi de última hora, dada pelo "dignissimo" Jucá, imagina o que acontecerá. Todos perdidos. A dinâmica é atender partidos, não as necessidades do Brasil. Elizabeth, Técnico do Seguro Social, não assistencial.

Alan 2016 disse...

Que saudade da dilma pqp fui...

Alan 2016 disse...

Q saudade da Dilma.Pqp fui...

Alan 2016 disse...

Que saudade da dilma pqp fui...