terça-feira, 10 de maio de 2016

IDA PARA FAZENDA DESESPERA CONCESSORES DO INSS

Há anos esse blog denúncia o pouco caso do INSS e de seus gestores com o rigor legal, o devido processo administrativo e a obediência à leis.

Sob Gabas e PT, o INSS, uma seguradora que depende de contribuições para sobreviver, passou a ser visto como uma caixa concessora de assistência social cujas "leis" atrapalhavam a "missão social" do instituto....

Uma visão universalista do seguro social tomou conta de milhares de servidores: não era mais necessário contribuir, o dinheiro dos outros tinha um destino social certo, especialmente se servisse ao propósito partidário de enriquecer movimentos sociais e manter "nutrida" sua base eleitoral.

O desrespeito à lei por parte de alguns gestores virou regra. O desprezo à segurança virou norma e o convívio diário com a fraude e o malfeito virou a rotina do dia a dia. Quem se insurgisse contra isso era duramente combatido.

Confundir a universalidade da saúde, essa sim independente de contribuição, com a necessidade contributiva da previdência virou praxe. Atendimentos irregulares estimulados com a desculpa de simplificar rotinas, concessões indevidas aplaudidas. Pago um jantar para quem me mostrar uma avaliação social de LOAS que não tenha sido pontuada como "grave" nos últimos anos nos casos onde a perícia médica nem sequer viu deficiência....

Aliás, para que avaliação social no LOAS se elas dão grave para praticamente tudo? Poderíamos dispensar a avaliação social com a presunção de que tudo é grave e passar direto para a pericia...

O mesmo vale para as habilitações de auxílio doença feita por alguns administrativos, muitos ignoram as etapas mais simples em nome do "social".... Anos atrás meu antecessor aqui alertou que por trás do nome "social" escondiam-se muitos ilícitos. Estava certo.

Agora que o novo governo diz que a previdência vai para a Fazenda, no que este blog aplaude de pé, os CONCESSORES e justiceiros sociais do INSS estão em polvorosa, convulsionando.... Obedecer leis? Seguir regras? Processo administrativo formalizado? Estão horrorizados....

Fazer caridade com dinheiro alheio é fácil. Veremos agora como ficará o INSS diante do choque de legalidade que se avizinha no horizonte....

31 comentários:

Blogdoandy disse...

Sou TSS e assino embaixo seu manifesto. O assistencialismo infelizmente tomou conta do entendimento dentro do INSS. Quem discorda das concessões "pro misero" é mal visto dentro da autarquia. Sempre falam que "o dinheiro é do governo". Espero que essa visão irresponsável com o erário mude. Sobre o LOAS não ter avaliação criteriosa, também se tornou praxe. Não fosse o que se encontra no CNIS para indeferir por renda per capita automaticamente, as concessões seriam ainda maiores.

orestes prudencio disse...

É aí que entra a anmp.
Uma audiência com a fazenda mostrando o descalabro, bem como apontando como corrigir grande parte dos ilícitos vua perícia médica, pode salvar a previdência pública.
Avante colegas!

Thiago de Lima Machado disse...

A primeira coisa que tem que fazer é uma força tarefa pra revisar essa farra do LOAS e os B31 judiciais. Benefícios indevidos a décadas ativos e esse governo não toma atitude nenhum por medo de perder o voto dos beneficiários.

Unknown disse...

Faltou citar a farra que é o judiciário. Salário maternidade para menor e o escambal. Nada que o servidor administrativo faça consegue barrar estes mutirões. Uma farra de acordos. Juízes com martelos de ouro fazendo caridade com o dinheiro público.

Doraci Targa disse...

O mesmo digo da perícia médica. Que colocam Leve para tudo. Li uma perícia de um avalido que amputou o MIE devido a complicações de trombose. E o perito respondeu que não havia nenhuma sequela. Então fica a observação para se repensar o agir profissional. É fácil criticar outros profissionais. Difícil é reconhecer o próprio erro.

Gescelio Soares disse...

Tiago... inclui nessa também os B41 rurais da Justiça! Com quebra de sigilo bancário de alguns juízes estaduais de interior logo após o pagamento de RPV via "acordos". Só quem jé participou desses mutirões, em que se fecham acordos sem nem um computador pra pesquisar um CNIS... Eu não concebo como ainda não houve operação da PF pra isso!

MARILIA ARAUJO disse...

Não sei vc entendeu Andy, mas falam dos TSS. Não te entendi não. Ou vc se expressou mal. Creio mais nessa hipótese.

Elis Costa disse...

Sugiro a leitura da Resolução 443/2003 do Cfess antes de referir-se à categoria profissional de Assistentes Sociais.

Blogdoandy disse...

Marilia. Talvez tenha me expressado mal. Não estou para atacar a categoria, mas apenas para chamar atenção para algumas incongruências que são encontradas em auditorias do MOB e que me fazem refletir sobre critérios de análise de benefícios (que variam de APS para APS) e avaliações diversas, seja B31, B87 e entre outros. No mais, ele destacou a palavra "Concessores" em to irônico, não englobando TODOS, mas aqueles que se DESTACAM. Assim entendi. No mais, lutemos juntos por dias melhores. Abs.

joel disse...

Antes de tudo, deveria vir a identicaçao de quem escreveu a nota. Não se deve generalizar, pois existem bons e maus servidores, assim como bons e maus médicos. Devendo serem resguardados aqueles que se pautam pela ética e pela legitimidade do feito, sabendo que enquanto servidores públicos somos escravos da Lei e dos Atos Normativos, cujo poder discricionário pelo deferimento ou indeferimento deve ater-se aos documentos e avaliação técnica para as quais existem leis e normas técnicas que orientam e delimitam tais procedimentos sob pela de imperícia, respondendo nas instâncias de correição, judicial, administrativa e criminal. Embora algumas normas sejam assistencialistas, as mesmas estipulam limites e parâmetros para tal assistência. Servidor público não importa o cargo ou função não foi contratado para fazer caridade, mas para exercer seu cargo no cumprimento da finalidade do órgão que trabalha.

A ida da pasta da Previdência para a fazenda em nada altera os preceitos legais ou a finalidade do INSS.

Ana Claudia Benayon Silvestre disse...

Qta falta de ética e inverdade esse Blog tem com os colegas. Como sempre ao invés de estar lutando junto fala mal dos Técnicos. LOAS tem legislação e é cumprida, na verdade s foi usada pelo governo do PT tem q ser denunciada. Fora q é um assistencial q não sai dos cofres do INSS. Essa verba não é de contribuições previdenciárias. Escrever Português bem não dá o direito de sair espalhando inverdades deveria conhecer melhor a legislação e o Sabi. O processo virtual q eu conheço é do auxílio doençà e que aí sim td servidor da instituição deveria montar com laudos médicos e atualização de cadastro. Isso os faria conhecer a Instituição melhor e assim ficaríamos do mesmo lado. Espero que esse Blog passe por uma supervisão pois trabalho com vários médicos e tenho certeza q eles conhecem tecnicamente a instituição e jamais postariam tamanha bobagem.

Elizabeth Franca disse...

Resultado grave na avaliação social de BPC, então é caridade??? Hummm... O Brasil é um país justo, que preza e efetiva a equidade social, deve ser por isso que é caridade, não é mesmo???

Aproveito para reivindicar o meu almoço/jantar, pois minhas avaliações sociais nem sempre resultam em grave. Avaliar os condicionantes sociais, a capacidade de inserção social, bem como a qualidade dos serviços públicos essenciais prestados é atribuição de assistente social, não de médico, compreendo a limitação de vcs alcançarem porque nossas avaliações sociais dão resultado grave... Mas quero o meu jantar, à minha escolha o local.
Antes de se falar mal de outra profissão, favor pesquisar melhor sobre suas competências e atribuições. Grata!

Unknown disse...

Peritomed, antes de usar a lógica restritiva e mercadológica de vocês, apropriem se da legislação sobre o benefício assistencial à pessoa com deficiência. Também recomendo tomarem conhecimento sobre a resolução 443/2003 do CFESS. Um pouco menos de arrogância, peritos, e mais empatia com a categoria profissional do serviço social e com os usuários do INSS. O INSS não gira em torno do umbigo de vocês.

zannn85 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zannn85 disse...

Concordo! Mexeram com a categoria errada. As medidas já estão sendo tomadas.

zannn85 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zannn85 disse...

De fato colega Dora, situações como a que vc citou, eu já vivenciei muitas. Mas abstenho-me de escrever em blogs sobre matéria que não é da minha competência. Diferentemente de "colegas" que utilizam argumentos baseados no senso comum, cheios de juízo de valor para criticar uma profissão que tem como um dos seus princípios fundamentais a defesa intransigente dos direitos humanos. Digo e repito, mexeram com a categoria errada. Somos de luta!

Carlos Luiz disse...

Quanta arrogância, prepotência, desconhecimento da legislação e falta de educação deste blogueiro. A nota não expressa uma opiniã, a nota em si é uma calúnia.

Carlos Luiz disse...

Quanta arrogância, prepotência, desconhecimento da legislação e falta de educação deste blogueiro. A nota não expressa uma opiniã, a nota em si é uma calúnia.

Carlos Luiz disse...

Quanta arrogância e falta de educação deste blogueiro. A nota não expressa uma opinião, a nota em si é uma calunia.

Unknown disse...

Ao administrador do blog comunico que tera que pagar um jantar, talvez varios. E o motivo nao é nada relacionado a necessidade/ vontade de agradar aos srs peritos medicos, e sim pq a avaliacao social é realizada por um profissional devidamente habilitado, que utiliza tecnicas cientificas,possui uma fundamentacao teorica solida, uma leitura de mundo anpliada. Por esse motivo ha possibilidade de resultados que variam do leve ao grave. Talvez possamos resumir no conceito de instrumentalidade.

Selma Regina disse...

Ao administrador do blog comunico que tera que pagar um jantar, talvez varios. E o motivo nao é nada relacionado a necessidade/ vontade de agradar aos srs peritos medicos, e sim pq a avaliacao social é realizada por um profissional devidamente habilitado, que utiliza tecnicas cientificas,possui uma fundamentacao teorica solida, uma leitura de mundo anpliada. Por esse motivo ha possibilidade de resultados que variam do leve ao grave. Talvez possamos resumir no conceito de instrumentalidade.

Doraci Targa disse...

É impressionante a arrogância de alguns peritos. Antes de criticarem nosso agir profissional, seria interessante buscarem entender melhor nossa avaliação. Avaliamos as barreiras sociais, as limitações das políticas públicas, entre outros. A grande maioria dos avaliados contribuíram muito para a economia do país através de seu trabalho, mas grande maioria foram lesados quando contratados por empregadores que não cumpriram com suas obrigações ao não assinarem sua CTPS. Tirando lhes o direito a aposentadoria. Volto a dizer antes de criticarem outros profissionais. Procurem o diálogo para compreender melhor o Serviço Social. Procurem avaliar seus próprios erros.

Doraci Targa disse...

É impressionante a arrogância de alguns peritos. Antes de criticarem nosso agir profissional, seria interessante buscarem entender melhor nossa avaliação. Avaliamos as barreiras sociais, as limitações das políticas públicas, entre outros. A grande maioria dos avaliados contribuíram muito para a economia do país através de seu trabalho, mas grande maioria foram lesados quando contratados por empregadores que não cumpriram com suas obrigações ao não assinarem sua CTPS. Tirando lhes o direito a aposentadoria. Volto a dizer antes de criticarem outros profissionais. Procurem o diálogo para compreender melhor o Serviço Social. Procurem avaliar seus próprios erros.

Iacob A. von Hohenstaufen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvano Oliveira disse...

Não sei em que mundo vive quem escreveu essa matéria.

Mas tanto o B31 quanto o B87 exigem pouco do TSS.

Nós não inventamos as regras. Nós atualizamos dados cadastrais, vinculados e remuneração.

O resto é automatizado.

Se cada um fizer seu trabalho bem feito não há o que temer.

Se acabar com as perícias de 30 segundos muitas concessões indevidas acabaram.

Iacob A. von Hohenstaufen disse...

"Mas tanto o B31 quanto o B87 exigem pouco do TSS"

Então vai pro balcão habilitar também, sabidão! A preguiça e a inépcia não devem permitir rsrs.

Adriana Guimaraes disse...

Colegas fofos e queridos gostaria de saber se os meus comentários realizados neste blog maravilhoso foi ofensivo? Pois não estou vizualizando os mesmos!!!! Senhores prepotentes!!!!!

Adriana Guimaraes disse...

Queridos e cordiais colegas peritos, gostaria de saber se meus comentários publicados ontem foram ofensivos? Tamanha prepotência de vossas senhorias !!!!

Iacob A. von Hohenstaufen disse...

Parabéns ao blog PERITO MED pela coragem e lucidez por sempre falar a VERDADE!

JOSE HM disse...

Sábado à noite, ainda 14/05/16, comecei a ler TUDO que acima se publicou. É a 1ª vez que entro aqui. Estava procurando maiores informações sobre a mudança do INSS para "algum" ministério que ainda não conhecia e me deparei com o matéria deste blog. Sei que NADA do que estamos escrevendo aqui resolverá NADA com relação ao nosso trabalho. Na verdade, nossas opiniões aqui expostas são como aqueles papos de futebol na mesa de bar, onde apenas jogamos conversa fora. Pura distração. MAS... é muito interessante ver como "nossa casa" tem TANTAS variantes de pensamentos e pontos de vista. Não sei quanto tempo-de-casa cada um de vocês tem, mas, acredito que alguns não tenham de "idade" o tempo que tenho de previdência. Já se vão 32 anos que fiz concurso para "Agente Administrativo" do então "IAPAS/INAMPS/INPS"... hoje sou "TSS" do INSS. Falar de toda a Centena de benefícios que a "previdência social" (...extinta agora?"...) analisa levaria horas. Assim, falemos apenas dos "LOAS 87/88". Benefício criado para apaziguar a dureza dos "sertões de norte a sul" desse enorme Brasil, onde famílias de 5 a 10 filhos viviam com miseráveis "tostões" que seus genitores conseguiam angariar nos trabalhos mais indignos imagináveis, foi sem dúvida uma ideia louvável. Vale lembrar que, em seu nascedouro, basicamente TODA a análise era ENCARGO DO MUNICÍPIO, onde as Assistentes Sociais (da localidade) CONHECIAM as comunidades e peculiaridades da região. Ao INSS competia apenas a finalização no "PRISMA". Hoje, "retirado" das mãos dos municípios, virou o grande "caça-voto" (como "caça-níqueis" mesmo). O governo que aí estava até semana passada ENXERGOU a magnanimidade de votos que arrastaria para as urnas petistas e trouxe PARA DENTRO do INSS toda a execução do LOAS. Estava ressuscitando o "dar-um-pé-do-sapato" dos tempos do coronelismo, para que milhares de brasileiros troassem UM voto por UM salário-mínimo. A partir daí, tenho visto toda a sorte de idosos e idosas dizendo que "se separaram de fato", mas com grossas alianças em seus anelares. Vejo mães e pais "omitindo" a existência de filhos ou "fingindo" que não tem NENHUM rendimento. Sentam-se na minha frente, com I-PADS, I-PHONES e CELULARES, dizendo-se carentes. Pessoas com capacetes de moto, chaves de carro e carteiras de motorista recente, dizendo-se pobres. Comprovantes de residência como "conta de luz" de mais de 300 reais ou faturas de cartão de crédito que são ABSURDAMENTE incompatíveis com alguém que vem tentar um benefício social que foi criado para os MISERÁVEIS. A condição de miserabilidade que se exige para o direito ao benefício é desconsiderada totalmente. "Fingem" que "não saiam" deste "mero detalhe"..... vergonhoso!!! E na outra ponta, por vezes, temos de NEGAR uma Pensão para a mulher e os filhos de um segurado que TRABALHOU E CONTRIBUIU UMA VIDA TODA e, no final, por ter ficado 13 meses sem contribuir, PERDEU a qualidade de segurado.... já chorei junto com uma mãe que veio "à pé mais de 20 km" com seus dois filhos pequenos e teve de sair com um "não" nas mãos.... pude ver nos olhos dela a dor de saber que não tinha um futuro. Pra essa mulher ...... desesperada..... desamparada..... não faz diferença de onde vem a verba desse ou daquele benefício..... para ela que não está "orientada" por um despachante, um "advogado", um "catador-de-papel".... para ela que não "montou um processinho viciado", não faz diferença nada de política, para ela não tem uma "assistente social" do INSS, não tem um "perito médico" do INSS, não tem um "t.s.s." do INSS..... para ela e os filhos, literalmente só existe o "nada"........ e mais nada! (........ que vergonha, meu Deus.... que vergonha.....)