quinta-feira, 3 de maio de 2018

GUSTAVO DE TARSO, AFASTADO DO RPPS MAS MUITO ATIVO NO PS.

Na foto enviada por um leitor do blog que deu o flagrante: o Perito Médico Gustavo Magalhães Mendes de Tarso, do DF, ex-SST do DF, afastado do INSS pelo SIASS desde o início do ano por motivos de saúde mas dando plantão em pronto-socorro no Hospital Alvorada Brasilia, em 29 de abril desse ano. Detalhe: no plantão ele usa o jaleco de Perito Médico do INSS fornecido pela ANMP.

Um dos locais mais insalubres e estressantes para um médico trabalhar, sem dúvida, é o pronto-socorro de qualquer hospital. No PS o médico tem que ter plena aptidão física e mental, incluindo capacidade física compatível, para agir rápido e raciocinar rápido. Uma bobeada, uma lentidão e o paciente morre. Não há espaço no PS para médicos com problemas de saúde ou com impedimentos diversos que o impeçam de atuar com rapidez e destreza.

Por isso causou espécie o flagrante dado por um leitor desse blog que, por coincidência, encontrou o Perito Médico Gustavo de Tarso dando expediente como médico responsável em recente plantão na capital federal, em um hospital de renome. Todos em Brasília sabem que Gustavo de Tarso está afastado da Perícia Médica do INSS desde 09/11/2017, quando foi exonerado do cargo de Chefe do SST do Distrito Federal- posição que ocupou por quase dois anos- tendo sido o "longa manus" do complicadíssimo superintendente regional local, André Fidélis, conhecido à boca miúda como "infidélis".

 Além de se recusar a trabalhar na ponta, como se fosse algum tipo de perito especial, desde o início de 2018 vem usando-se de licenças médicas concedidas pelo SIASS do Ministério do Trabalho e Emprego em Brasília, famoso por não negar nada a ninguém para acobertar esquemas de ponto, para não trabalhar na perícia médica. 

Gustavo pediu prorrogação da licença ao SIASS, e foi novamente periciado pelo SIASS em meados de abril, tendo conseguido ser mantido afastado do trabalho pericial previdenciário mas exercendo medicina  assistencial no referido Pronto Socorro, (pasmem!) três vezes por semanas: aos domingos, terças e quintas- feiras! Curiosamente, manteve-se afastado sim da Perícia previdenciária, mas o jaleco de PERITO MEDICO - com o brasão da união orgulhosamente estampado no peito- não fugiu à luta, pois vem sendo usado em seus plantões como emergencista na Asa Sul.

É verdade que, em alguns casos, é possível que um perito médico afastado do INSS possa exercer outras atividades em outros vínculos, mas certamente são atividades muito diversas, que não envolvem conflitos, atendimento ao público, dentre outros. Porém, com toda sinceridade e conhecimento médico, é absolutamente incongruente um Médico alegar estar verdadeiramente incapaz para trabalhar na Perícia Médica do INSS, e o mesmo profissional estar apto a dar plantão em pronto-socorro.

Mas o que está por trás dessa história?

Trazido de um canto remoto do país em 2016, onde era um mero perito da ponta, e alçado chefe de SST do DF pelas graças de Fidelis, Gustavo de Tarso sempre atuou como fiel parceiro e cúmplice do superintendente- não apenas no trabalho mas na vida pessoal-  de maneira muito íntima, aliás. Além da vida íntima/pessoal, da qual não desceremos a detalhes, Gustavo - segundo relatos de testemunhas- atendeu vários pedidos especiais de Fidelis quando era chefe de SST. As perícias médicas feitas por ele entre 2016 e 2017 - enquanto estava em cargo de chefia- certamente deveriam passar por minuciosa auditoria- fica a dica. 

Fez amizade com todos os chefes administrativos, inclusive tendo sido convidado a festas de aniversários dos mesmos, como nessa fotografia do facebook de uma chefona de Brasília. Detalhe: Gustavo estava em pleno gozo de licença médica no dia da festa- afastado do INSS. Mas para beber e farrear, estava ótimo, pelo visto na foto abaixo.

Na foto, siga as setas: Gustavo dando um "joinha", garrafa de bebida na outra mão e a data do evento, na casa de uma chefete de Brasília, todos aliados e soldados de Fidelis, o Superintendente da SR 51. Tin Tin.

Gustavo, ambicioso, não se contentava apenas com a chefia de SST, queria ser o Diretor de Saúde do Trabalhador. Ele se aproximou da DIRSAT a partir de 2016, quando o novo governo assumiu, se mostrando prestativo e colaborador. Graças a isso, conseguiu ser indicado para vários grupos de trabalho, eventos, até mesmo a ANMP o colocou como membro suplente do grupo que reestuda a GDAPMP, conforme portaria publicada em 2016. Soubemos, por fontes, que cogitou-se levar Gustavo para o núcleo central da DIRSAT, com um DAS 4. Porém, a Casa Civil teria bloqueado o nome por alguma pendência não esclarecida dele em Tocantins. Algo relacionado com empresas.

Inconformado, Gustavo elaborou um plano alternativo, incensado por Fidelis e por inimigos da Perícia Médica, partidários do PT e gerentes que estavam descontentes com o protagonismo dos Peritos Médicos na atual gestão. 

Ele "montou" uma equipe, com peritos médicos petistas- e inimigos da categoria- criou um blog anônimo para difamar a ANMP e a DIRSAT e entregou a Fidelis a tarefa de "vender" sua equipe como apta a assumir a DIRSAT em caso de queda da atual gestão. Isso era necessário pois dada a importância da Perícia Médica atualmente, ninguém consegue prosperar na gestão previdenciária sem ter uma boa relação com os médicos. A ideia de anarquia na perícia assusta o Governo.

Gustavo então se colocou como fiador desse projeto de golpe e não escondia suas intenções a colegas mais próximos: "Eu quero sim, ser o DIRSAT, pois sou preparado para o cargo" - dizia ele. 

Com a lista na mão, um grupo de superintendentes (todos) tentou dar o golpe, derrubando Leonardo Gadelha e, por tabela, a DIRSAT, assumindo a presidência. Na DIRSAT, a ordem era desfazer todos os ganhos obtidos pela Perícia Médica e devolver os peritos ao controle dos administrativos, esvaziar a DIRSAT de poder e desfazer os atos pró-perícia médica. Seria um massacre. Além disso em seus planos megalomaníacos também constava a declarada intenção de assumir o poder da ANMP em 2020, imaginem só...

Coube a André Fidelis a missão de botar o tanque na rua. Porém o golpe fracassou. Aparentemente o tanque de Fidelis tinha o canhão muito pequeno, e a bala não tinha potência. O fato do motor ser a etanol também não contribuiu pois "engasgava" muito.

Expostos, o grupo fugiu, e se escondeu. A "Liga da (in)Justiça" dos Superintendentes se desfez mas Gustavo se manteve fiel a Fidelis: Após sua saída da chefia do SST/DF, o perito se escorou no ombro amigo dele para fugir do trabalho. Com a saída de Gadelha e a entrada do novo Presidente do INSS, Francisco Lopes - O "Fran"- Fidelis e Gustavo se agarraram nele como "boia de salvação" para sobreviverem. Afinal de contas, para quem está se afogando, jacaré é tronco.

Conforme prova a foto abaixo, o Presidente Fran até tentou ajudar - abrindo um processo para remoção de ofício do Gustavo - (atentem) durante a licença para tratamento de saúde no RPPS (01/03/2018) - olhem só... para seu próprio Gabinete, onde historicamente não trabalharam médicos peritos.



Infelizmente para ele, o Presidente era novo na casa, e não tinha o domínio do regulamento. Ele desconhecia que esse tipo de remoção não poderia ser feito pelo superintendente, mas valeu a tentativa... Então restava ao ex-chefe de SST ser removido para lotação em uma APS de Brasília. Até nessa hora Fidelis tentou ajudar seu querido pupilo: atrasando de propósito o cumprimento da remoção publicada no BSL, contudo nos relataram que uma ameaça de PAD ao Gerente de Brasília, Lucindo, fez a remoção ser efetivada.

Curioso... o que será que um Perito Médico faria no Gabinete do Presidente do INSS: medir a pressão? a glicemia? servir café e torradas com chá? Varrer o chão, limpar o tapete? Para um vassalo como Gustavo se mostrou: tudo é possível!

Gustavo até parece que gozava de boa fama entre seus colegas de Brasília, que achavam que ele fez uma razoável gestão na chefia de SST... Mal sabiam os colegas, que na verdade - pelos vários relatos consistentes- Gustavo é um pelego traíra, que sorri pela frente mas fala mal de todos pelas costas... 

Por exemplo: ironizava a situação de uma perita que estava afastada pelo SIASS mas trabalhava no SAMU (ora, e não é a mesma coisa que ele fez?); questionava a heterossexualidade de um perito previdenciário (ultrassonografista) que na gestão PT teve certo protagonismo; chamava de neurótica uma colega perita (pediatra) que tem parecer de restrição à demanda de trabalho por parte do SIASS; ridicularizava um colega perito (oftalmologista) com redução de horário, chamando-o de termos impublicáveis, etc... ou seja, Ninguém escapava à língua ferina do amigo íntimo de Fidelis.

Bom, creio que as autoridades já sabem como proceder diante dos fatos aqui narrados. Os peritos médicos tem o direito de conhecer a verdade acerca do caráter, e do "modus operandi" de quem ambiciona liderá-los no futuro e, principalmente, tem o direito de saber quem não hesitaria em tentar destruir os ganhos que a perícia médica previdenciária conquistou nesses últimos anos- visando alçar cargos passageiros- e ganhos políticos com os inimigos da categoria.

2 comentários:

Hafiz Ben David disse...

Parabéns! Navalha na carne! Vocês são mil!

orestes prudencio disse...

Petista tem um perfil clássico: uns roubam sem limites, outros são preguiçosos, mas todos gostam de uma boquinha.