segunda-feira, 4 de agosto de 2014

TERCEIRIZAÇÃO DA PERÍCIA, AMADORA E FEITA ÀS PRESSAS, É CARTADA FINAL DE GABAS NA LUTA CONTRA MERCADANTE.

Há pouco mais de 10 dias o INSS publicou de forma atabalhoada um edital de credenciamento de peritos sem base legal, retomando o período negro do INSS que cessou em 2004 quando Lula assinou a lei de carreira dos peritos médicos, tornando-a exclusivamente pública.

Denunciado no TSE por crime eleitoral por este blog, Lindolfo voltou atrás e dias depois soltou memorando em conjunto com o PFE proibindo o credenciamento durante o período eleitoral.

O que chega agora ao blog, por fonte exclusiva de Brasília, revela que antes de despreparo, o que ocorreu foi um desespero por parte de gestores inssanos. 

Soubemos que o credenciamento amador em período eleitoral foi uma medida desesperada por parte de Garibaldi, Gabas e Lindolfo para tentar frear pressão do Ministro da Casa Civil, Aloízio Mercadante que quer a cabeça do Gabas a todo custo.

Os motivos de Mercadante são vários, já citados por este blog e viraram até inspiração para o Game of Thrones Inssano. Várias ações nesse sentido já foram tomadas por parte da Casa Civil, uma das principais foi a exoneração de Brunca, homem-forte de Gabas dentro do INSS, que vocês também souberam com exclusividade por este blog.

Não é apenas Mercadante, fortemente associado ao braço dilmista do PT, que trabalha para isso. O grupo de Luiz Marinho, fortemente aliado ao braço lulista do PT, também quer Gabas fora após uma traição de acordo interno ocorrida em 2008, quando da demissão do então presidente Marco Antônio do INSS (clique aqui), após a saída de Marinho do Ministério da Previdência. Marinho, um dos prováveis sucessores de Lula na hierarquia petista, não perdoa Gabas até hoje.

Ou seja, Gabas está sem pé no barco de Dilma e também sendo empurrado para fora do barco lulista. Com os números negativos do INSS, e o de maior impacto é a perícia (óbvio, 70% da demanda, benefício socialmente mais exposto, etc), Gabas e seus aliados estariam desesperados em busca de alguma coisa para ficar no poder mais um pouco, e a solução foi o credenciamento. A pressa foi tão forte que esqueceram das eleições...

Por isso a pauta da semana passada inteira em Brasília foi perícia médica e havia indignação por NOVAMENTE o Diretor Sérgio Carneiro, DIRSAT, não estar presente nas reuniões pois estaria DESCANSANDO após o retorno do "exaustivo" curso de pós-graduação que foi curtir na Espanha com o dinheiro da patuléia. Carneiro está com os dias contados, só fica ainda por causa do período eleitoral.

Para justificar a ilegalidade do credenciamento perante a nação, o INSS procurou amigos jornalistas e estão preparando o terreno para justificar publicamente o descumprimento da Lei 10.876/04 e entregar a perícia de novo nas mãos de credenciados, terceirizando um serviço público.

Já foram duas reportagens, uma no Jornal Hoje e outra hoje no Bom Dia Brasil. Soubemos que uma mega reportagem está sendo preparada para sair no Jornal Nacional ou no Fantástico, abordando o drama da fila na perícia médica. Seria uma matéria ao estilo daquelas de capa de editorial.

As matérias vão seguir a linha das outras já feitas: abordam o problema mas omitem a causa (negligência do governo, desmonte da carreira, boicote contra a carreira) e escondem a solução (valorizar a carreira, dar autonomia à carreira, dar estrutura de trabalho). O objetivo com isso é causar uma forte comoção e propor uma solução falsa, imediatista, que não vai resolver nada, mas vai segurar Gabas no MPS: o credenciamento.

A idéia é essa.

8 comentários:

MAURICIO disse...

É como o Jabuti em cima do poste.
Ninguém sabe como foi parar lá.
Mas todo mundo sabe que lá não vai ficar.

E.G. disse...

Acho que se a idéia pegar, cabeças vão rolar ainda mais rápido. Afinal não se mostra a incompetência do governo Dilma em horário nobre semanas antes das eleições. Ela não vai gostar da idéia !

Anderson disse...

Deixem chegar os credenciados! Eles vão fazer o que os peritos do quadro não podem fazer: sangrar a viúva!!! Se há 10 anos, quando não havia 135, não havia ampla divulgação do auxílio-doença, não havia essa cobertura previdenciária atual, a fazenda já ficou de cabelo em pé; imaginem agora em quanto tempo os gastos vão explodir. No Brasil a população envelheceu ainda mais, a indústria não tem mais o mesmo folego, etc, etc. Será que vcs não percebem que os credenciados serviram para criar a carreira e agora vão servir para elevar a carreira a níveis compatíveis com sua complexidade. Quem venham!! Que explodam os gastos públicos!!

Newton disse...

Alguma coisa tem que acontecer. Do jeito que está não dá pra ficar. Se querem credenciados...que venham. Querem colocar cubanos...que coloquem! Se querem liberar benefícios sem perícia, que liberem. Antes de se ter a luz...havia o caos.

Hafiz Ben David disse...

Que se exploda o deficit previdenciário!!! Isso mesmo!!! E fiquem contando os minutinhos do SISREF!!!! Que venha o Caos!!!

PauloVieira disse...

Estimados, se acalmem!..
A questão aguarda por solução há, pelo menos, quatro décadas.
Entra Governo, sai Governo e todos tentam suas "novas mágicas", porém nós servidores calejados e ignorados e que já as experimentamos no passado, todas, sabemos muito bem os seus resultados.
Não existe mais coelhos na cartola deste ou de qualquer outro futuro Governo que possam nos indicar uma solução ética, moral e legal para o problema.
A nossa sugestão, de longa data, é a de sempre, ou seja, que ouçam aqueles que mais entendem da encrenca, os Servidores Peritos, para que em conjunto possamos equacionar as infinitas variáveis que compõem o complexo substrato chamado de avaliação e julgamento da capacidade laborativa do trabalhador brasileiro.
Estamos a postos para colaborar!...

Hafiz Ben David disse...

Que se exploda o deficit previdenciário!!! Isso mesmo!!! E fiquem contando os minutinhos do SISREF!!!! Que venha o Caos!!!

sergiotorrino disse...

Os peritos devem entende um simples conta: Se a população fosse honesta,não precisaria nem de atestado.Bastava sua palavra.Igualmente se os nossos colegas médicos fossem corretos,fizessem os afastamentos e configurações de insalubridade dentro da lei e da real necessidade nem existiria o perito previdenciário.Desta forma ,como em qualquer sociedade tem de existir o custo benefício, qual seja quanto custa um perito medico,e TODA a estrutura que ele necessita para operar,e se o que seu trabalho gera reduz as despesas da previdência ,DENTRO DA LEI.Somos apenas magistrados que julgam a incapacidade e adequá-la ao que a lei estabelece dentro dos conhecimentos médicos.Se ficarmos em custo acima de 75% do que economisa ,sinceramente nem vejo razão da existência da carreira. Desta forma é preciso PROVAR do Ministério do planejamento e gestão de que a valorização e que a remuneração justa, trará REAL benefício a "seguradora". Este é o cerne da questão.TEM DE PROVAR COM NÚMEROS. e este deve ser ,neste momento a busca para qualquer ganho objetivo na carreira.O resto é falácia.