quinta-feira, 14 de agosto de 2014

LUCIANA COIRO, COLABORADORA DO BLOG, É FLAGRADA FURANDO O MEP. TCU INVESTIGA.

A colega Luciana Coiro, colaboradora do blog e uma das autoras intelectuais do que ficou conhecido em 2009 como MEP, Movimento pela Excelência Pericial, foi flagrada furando o próprio movimento que ajudou a criar.

Consta nas bases do SABI que ela realizou um total de 2.899 perícias médicas no ano de 2013. Considerando que temos 1 mês de férias e eventos como feriados, quedas do SABI, reuniões técnicas e eventuais afastamentos podem corresponder a um segundo mês, e que na prática temos uma média de 20 dias úteis/mês, não é errado supor que cada perito possui em média 200 agendas anuais de perícias para fazer.

Com isso, significa que Luciana Coiro fez uma média de 15 perícias/dia de forma ininterrupta em todo o ano de 2013, acima do proposto pelo MEP.

Só tem um problema: Luciana Coiro está aposentada desde meados de 2012. Quem fez 2.899 perícias no SABI em nome de Luciana Coiro no ano de 2013? Não sabemos.

O TCU também achou estranho e está cobrando explicações do Presidente do INSS. No total, quase 30.000 perícias foram lançadas no sistema SABI no ano de 2013 com matrícula de peritos aposentados ou falecidos. Isso equivale a um dia útil de perícias de todo o sistema INSS. Nenhum dos casos é de peritos aposentados que voltaram como credenciados. Isso foi eliminado das bases.

O TCU também cobra explicações de quase 50.000 perícias lançadas no sistema sem a identificação do perito que a realizou. No total são quase 100.000 perícias com algum problema envolvendo apenas um ponto: A identificação do perito que supostamente realizou a mesma.

O sistema SABI não é um processo eletrônico, não possui encriptação nem certificação digital. O laudo sai apenas com o nome de quem supostamente realizou a perícia. Sem a assinatura do perito por cima desse nome impresso, legalmente, o laudo do SABI é imprestável, legalmente falando pode ser considerado apócrifo.

Qualquer perito poderá alegar, a qualquer dia, que determinado laudo com inconsistência não lhe pertence, pois não possui assinatura dele nem assinatura digital ou emitido sob certificado digital. O que quer que esteja escrito nesse laudo será considerado inválido.

E não adianta alegar suposta "segurança" do sistema SABI pois, como vimos acima, não existe nenhuma segurança.

Ou então teremos que assumir que o perito do INSS trabalha tanto, mas tanto, que continua fazendo perícia mesmo depois de aposentado.

Isso estaria resolvido se o INSS respeitasse a lei e formalizasse o processo administrativo do auxílio-doença, devidamente capeado e instruído e documentado. Nesse caso, o perito imprimiria o laudo, assinaria e entregaria de volta o processo para a chefia da APS dar seguimento ao caso. Mas ai o INSS não poderia cobrar dos peritos produção chinesa com fila indiana...

Esperamos que o TCU também analise o fato de que, no INSS, o benefício por incapacidade é realizado em clara violação da Lei 9.784/99 e o que isso pode gerar de rombo financeiro para a instituição.

10 comentários:

Clínica médica Marcelo Rasche disse...

Que mancada.

JOSÉ ALBERTO ARMÊNIO disse...

brasil ?
FRAUDE ESPLICA ! ! !
apud CARLITO MAIA

Ighenry disse...

Absurdo!

Fernando disse...

SURREAL :-O

Eduardo Henrique Almeida disse...

E a corregedoria com seus PADs por ofensas futuras. Luciana, estude uma reparação judicial pesada pelo uso criminoso de seu honrado nome.

Paulo Taveira disse...

É...e aqui em Anápolis temos peritas com 04 e cinco perícias desde 2005.Não são 4000, nem 400 e muito menos 40.São 4 e 5.

H disse...

Isso é um escândalo. Gravíssimo e prova que muito mais pode estar oculto. Merece ir para o Estadão e Veja.

fernando luiz borges disse...

Provo: nem morto, falecido, enterrado o PMP, perito,sai da agenda SABI,dai, ja viu né ?Aposentado? Muito menos

Luciana Coiro disse...

Estou envergonhada por ter virado "laranja". Como podem ter esquecido a vergonha na cara ? Estou meio pasma...embasbacada...

Quer dizer, entäo, que meu nome ( seja ele importante ou näo) está sendo violado, usado com má fé, sendo pisoteado, reduzido à merda ??

Meu nome näo é meu !!! É de meus pais, dos pais deles e dos pais que trouxeram os mesmos à vida e, por conseguinte, eu.

Tenho muito nojo de tudo isto e tomarei as providências cabíveis em busca da manutençäo da dignidade. Se vai surtir efeito ? Tanto me faz ! Neste Brasil de hoje em dia, causa e efeito sáo parentes distantes !

Porém, no atual mundo dentro de mim, a gente ainda evita se tornar um pulha, um cretino, um desonesto, um indigno, um desonrado... Enfim, um ser desprezível...

Abs, Luciana

Gustavo M. Mendes de Tarso disse...

Denuncie colega. Cordialmente