quinta-feira, 21 de julho de 2016

IVETE E PAQUIER SÃO O "ISIS" DA PREVIDÊNCIA EM SP - SUPERINTENDENTE PETISTA DE SÃO PAULO QUER TACAR FOGO NAS BARCAS - BOICOTE DECLARADO AO NOVO GOVERNO PODE LEVAR SP À RUÍNA.

Aproveitando o lapso do novo governo em removê-la de sua função, a Superintendente de São Paulo, Ivete Bittencourt, junto com sua aliada Lúcia Paquier (Gerente Executiva de SP Sul), estão promovendo uma verdadeira politica de terra arrasada na maior superintendência do país. Recentemente Ivete esteve na sede da GEx de Paquier, na Vila Mariana, para estabelecer as metas de detonação dos índices paulistas para jogar no colo do próximo superintendente a ser escolhido pelo governo.

Vamos aos fatos:

  • O TMEA da capital paulista subiu de média de 60 para 85 dias em apenas um mês!


  • Das 30 GEx com pior desempenho no TMEA, 18 são de São Paulo. 80% das GEx paulistas estão na lista dos piores TMEA!!


  • O estoque de processos represados entre 91 e 365 dias disparou na SR 1 para mais de 23.000 (!!!), número jamais visto. Isso siginifcará o fim da GDASS de todos os administrativos paulistas na próxima aferição (a não ser que se use a clássica tática de dar baixa em tudo na véspera e depois reabrir tudo após a "aferição"):



Vejam o que a SR1 está orientando aos angustiados administrativos preocupados com o descumprimento da MP 739 por parte do INSS:

"Bom dia,
em que pese a Medida Provisória 739 ter alterado a recuperação da carência de maternidade de 3 para 10 meses e de auxílio doença e aposentadoria por invalidez de 04 para 12 meses após a perda da qualidade de segurado, nossos procedimentos operacionais devem permanecer inalterados** até a divulgação de novo Memorando pela Direção Central.
A Direção Central do INSS e o MDSA já estão trabalhando para, em breve, publicarem os normativos.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX*
Analista do Seguro Social - Matr . 000000
Esp. Normas e Gestão de Benef.
21150 - Sup. Sudeste I - SP"

*identidade protegida. **Grifo nosso.

Esse email é uma confissão de culpa de obstrução à legalidade, ato de improbidade clássico, conforme denunciado em postagem abaixo!!

São Paulo está em uma situação crítica, está entregue às baratas, ao caos, está sem comando, sem chefia, sem ordem.

São Paulo representa 60% dos benefícios pagos, 25% das Gerências, 33% dos servidores. É o caos, é o caos...

E o pior: Ivete e Paquier querem bancar as "novas cristãs" e se encapuzar de PMDB para continuarem mandando por lá, um absurdo sem nenhuma vergonha na cara.

Ou o Governo toma uma atitude URGENTE em relação a São Paulo ou ela vai cair. Ivete e Paquier já são chamadas lá de "O Estado Islâmico da Previdência".

Pobre São Paulo...

3 comentários:

Adrianus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

O governo prejufica a classe previdenciaria e os clientes do Seguro Social ao retardar a dispensa dos superintendentes, talvez achando que esses fazem tudo funcionar, o que não é verdade, pois sempre atuaram para levar os interesses do pt para a convivência no Inss, a ponto de que as funções eram prioritariamente preenchidas por filiados e simpatizantes do partido. Sempre praticaram o proselitismo político e entre eles há algund que deixam desconfianças de que levam vantagens nas licitações centralizadas.

Servidor Estadual disse...

A MP 739/2016 é legítima. Se não há incapacidade o benefício deve ser cessado. Simples assim. Quem define a incapacidade é o perito do INSS. Simples Assim. Caso hipotético, segurado vai ao cardiologista e recebe a notícia que deve ficar afastado das suas atividades laborais por três meses. Então este segurado vai ao INSS e o perito médico, ortopedista, diz que não há incapacidade. Diante deve fato, deve-se supor que o cardiologista deu informações erradas a seu paciente pois este, segundo ortopedista perito do INSS, se encontra apto ao trabalho. Dessa forma, o cardiologista em comento tinha que ser denunciado no seu respectivo conselho profissional por dizer que o segurado não podia trabalhar? Eis a pergunta?