sexta-feira, 14 de novembro de 2014

SÉRGIO CARNEIRO RECUSA-SE A DIZER QUANTO TEMPO DE FATO TRABALHOU COMO PERITO. DEIXA QUE TIRAREMOS ESSA DÚVIDA.

Ontem o Diretor de Saúde do Trabalhador, Sérgio Carneiro, deu um "ataque" ao ser interrompido em palestra no Rio de Janeiro, quando falava de seu tempo na "ponta", por colega que perguntou "quanto tempo ele ficou na ponta?". A crise incluiu uma lista de auto-elogios e dos dez anos que ele serviu à gestão pública, etc. E se recusou a dizer quanto tempo ficou na ponta.

Não precisa esconder. Basta consultarmos o DOU de 19.07.2006 (confirmado pelo Portal da Transparência) onde ele assume como PMP em São Paulo Norte (APS Água Branca) e o DOU de 06.12.2007 onde ele já sai de mero PMP nivel "A", em início de carreira, para cargo de gestão DAS 4:


"O SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DAPREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso de suas atribuições e considerando

o disposto na Portaria MPS/GM/No- 1.454, de 26 de agosto de 2005, e considerando o Decreto no 4.050, de 12 de dezembro de 2001, bem como o disposto no art. 93 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990, com nova redação dada pelo art. 22 da Lei no 8.270, de 17 de dezembro de 1991, resolve autorizar a seguinte cessão:

No- 648 -
Servidor: Sérgio Antônio Martins Carneiro, matrícula no 1546524
Cargo: Médico Perito
Origem: Instituto Nacional do Seguro Social - INSS
Para: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - Secretaria de Recursos Humanos
Função/cargo: Coordenador-Geral de Seguridade Social e Benefícios do Servidor, código DAS 101.4
Ônus: órgão cedente (previsto no art. 93 da Lei 8.112/90
Processo: 44000.004081//2007-77"



Ou seja, ele ficou como PMP por exaustivos 1 ano, 4 meses e 17 dias. Depois já virou "gerente", "chefe" e só foi voltar ao INSS em 2013, como DIRSAT, sem ter feito sequer 2 anos de perícias.

De fato, Dr. Sérgio Carneiro tem VASTA experiência em perícia médica e com certeza é o mais qualificado para propor políticas resolutivas nessa área.

Como o fez na Prefeitura de São Paulo, quando sua proposta de perícia sem perito fez crescer o número de afastamentos de professores em inacreditáveis 1.000%, quase paralisando o ensino municipal naquele ano (clique aqui).

Em apenas 24 meses, o número de atestados médicos apresentados pelos servidores na rede municipal saltou de 9.010 em 2002 para 105.539 em 2004, um aumento de 1.000%.Nem uma epidemia de ebola em São Paulo justificaria tamanho aumento. Esse será o impacto do "modelo carneiriano" ao INSS.

Pronto, resolvido o mistério, sem motivo para nervosismo.

7 comentários:

Douglas De Morais Garcez disse...

Antecessor deste, protagonista principal do treinamento de peritos do curso para os dinossauros, o doutor baiano concluiu exatas 260 pericias nos seus poucos ( 5?) anos de perito, contra milhares de pericias feitas pelos admitidos na mesma época.

Douglas De Morais Garcez disse...

o antecessor, doutor bahiano, nos 5 anos que ficou perito concluiu 260 pericias cfme SABIGESTÃO, o que o credenciou para ser o protagonista do curso PMP aos dinossauros.

Douglas De Morais Garcez disse...

o doutor bahiano, antecessor, protagonista do curso PMP aos dinossauros, concluiu exatas 260 pericias na sua vida previdenciária.

Douglas De Morais Garcez disse...

o doutor bahiano, antecessor, protagonista do curso PMP aos dinossauros, concluiu exatas 260 pericias na sua vida previdenciária.

Douglas De Morais Garcez disse...

o doutor bahiano, antecessor, protagonista do curso PMP aos dinossauros, concluiu exatas 260 pericias na sua vida previdenciária.

E.G. disse...

Nada como uma ideologia camarada e um discurso sem fundamento para elevar o contra-cheque. Alias, não foi o primeiro e nem vai ser o último a ter carreira meteórica no governo.

Heltron Xavier disse...

Seria excelente que eles desse uma demonstração de como se faz atendimento médico pericial sentando numa APS e atendendo por alguns dias.