domingo, 23 de abril de 2017

EXONERÔMETRO 3.000

Na data de 17 de abril de 2017, o servidor Perito Médico Previdenciário Orlando Batista de Moura, da Gerência Executiva de Uberaba (MG) se tornou o terceiro milésimo Perito Médico a sair dos quadros do INSS, ao ter publicada sua aposentadoria (classe SIII) no D.O.U.

O exonerometro foi criado em 2011, retroagindo a contagem a janeiro de 2010, na percepção do enorme esvaziamento de quadros que se sucedia às políticas de destruição da carreira promovidas pelo então Governo Federal e levadas a cabo pelo então Comissário Gabas, que queria acabar com a carreira e entregar o serviço na mão dos sindicatos e de pelegos do SUS, para ter pleno controle de nossos atos.

O envolvimento de Gabas na Lava Jato e várias outras operações policiais, bem como sua condenação por perjúrio em 2014, transformada em acordo via TAC com o MPF, mostram bem a que servia o interesse de destruir a carreira pública dos Peritos Médicos Previdenciários.

Porém, de 2016 para cá, duas coisas mudaram: O Governo de bandidos (e sua política para com a perícia médica) caiu e o perfil de saída dos peritos mudou. O número de exonerações a pedido despencou e o principal motivo de perda de quadros vem sendo a aposentadoria, na proporção de 90/10 da última para a primeira.

De fato a sangria diminuiu bastante, vide que o exonerômetro 1.000 foi em agosto de 2012 e o exonerômetro 2.000 foi em outubro de 2013. Porém a taxa de saída continua maior que 1 por dia, seja em dia útil ou total de dias e, segundo cálculos, cerca de 500 peritos neste momento já acumulam condições de aposentadoria e outros 1.000 obterão esse direito nos próximos 3 anos.

Com cerca de 4.000 peritos ativos no quadro, ou o governo promove um concurso para repor as mais de 3.000 vagas em aberto ou ficará incapaz de, mesmo com todas as políticas ajustadas e saneadas, prover segurança na concessão de benefícios por incapacidade, tendência a ser observada com a aprovação da Reforma da Previdência, ficando a mercê da Justiça e do MPF.

O exonerometro só conta exonerações a pedido, por posse em outro cargo, demissões ou aposentadorias, excluindo óbitos.

3 comentários:

Geraldo GE disse...

Mas o que adianta se aposentar e continuar, tem muitos que se aposentam, mas a saida não retrata a verdade, pois continuam a trabalhar. Que bom que estão se aposentando, tem que haver uma verdadeira limpa dos peritos que ai estão.

Geraldo GE disse...

Porque não aceitaram meu outro comentário. Tirem dai então a opção de comentarios. Voces são do mesmo time da ANMP, todos doentes.

Geraldo GE disse...

Porque voces não tiram esta opção de comentário, voces são sem vergonhas, pois ja postei comentários aqui e os dois não foram publicados. Voces peritos são todos doentes.