SOBRE O BLOG PERITO.MED

O site perito.med foi criado em 10/09/2001 pelo médico gastroenterologista e perito médico do INSS Eduardo Henrique Rodrigues de Almeida, de Belo Horizonte-MG, para ser o ponto de encontro dos peritos previdenciários do Brasil que então se estruturavam em uma construção de representatividade nacional. Inicialmente o site foi abrigado dentro do domínio do Sinmed-MG, como um subdomínio.

Em 2003 é fundada a Associação Nacional dos Peritos Médicos da Previdência Social - ANMP, tendo como fundador e primeiro presidente justamente Eduardo Henrique. A partir dai o site perito.med passou a ser, temporariamente, usado para abrigar os textos da recém-criada associação.

EM 17/02/2006, por ordem de Eduardo Henrique, foram criados os domínios próprios da ANMP (.org e .com) e o site perito.med passou apenas a referenciar o usuário a esses domínios próprios. Desta data até abril de 2010, a marca perito.med serviu à ANMP apenas por empréstimo pessoal de seu criador.

Em 19/04/2010, diante de divergências na condução dos rumos associativos, Eduardo Henrique solicitou o fim do redirecionamento do link ao site da ANMP para criar um blog próprio. Posteriormente a ANMP tentou judicialmente se apropriar do domínio mas foi derrotada.

Desde então, o site perito.med deixou de ser um mero repassador de link e virou um blog próprio, independente da gestão associativa e estatal, onde a liberdade e a defesa da categoria, que foram os princípios norteadores de sua construção em 2001, voltaram a ser praticados por uma equipe de peritos independentes escolhidos pelo colega Eduardo.

Em 06/02/2012, em razão da criação do Sindicato Nacional dos Peritos Médicos, Eduardo Henrique abriu mão da direção do blog e cedeu seu domínio, que passou a ser administrado pelo colega Francisco Cardoso, de São Paulo, mantendo a equipe de editores e associados e a linha editorial de defesa dos médicos, da categoria e da medicina, em especial com a valiosa ajuda do colega Heltron Xavier do Rio Grande do Norte.

Nesses anos todos a marca perito.med serviu e continua servindo para aglutinar os peritos médicos em toda a nação, servir de norteador, alimentador de notícias e ajudou a normatizar uma doutrina técnica e de categoria para a perícia médica previdenciária no Brasil.

De 30 leitores por dia em 2010 pulamos para 800.000 leitores mensais com picos de 1 milhão. A credibilidade conquistada pelo blog nesses anos todos está calcada na seriedade do trabalho, no profissionalismo empenhado e na enorme capacidade técnica de todos os colaboradores que, do Acre ao Rio Grande do Sul, de Cuiabá a Natal, trabalham dia a dia para manter a qualidade, os furos de reportagem, as análises técnicas e os editoriais deste veículo de mídia.

Sua valorização pelos leitores médicos e não-médicos fez o blog passar a ser lido até mesmo por quem não atua na esfera pericial, tornando o blog uma referência técnica em medicina e assuntos de grande destaque nacionais.

O blog é alimentado por seus colaboradores, os comentários são moderados seguindo regras jornalísticas reguladas e temos como regra verificar a veracidade dos fatos antes de sua publicação, o que confere a esta mídia a marca de mais de 90% de acertos nas "previsões" feitas em nossas análises conjunturais.

13 comentários:

Eduardo Henrique Almeida disse...

PERITO.MED é uma marca consagrada a serviço do debate franco e sério sobre perícia médica e, mais recentemente, sobre medicina brasileira. Foi esta marca que aglutinou os peritos há mais de 10 anos para lutarem pela previdência pública de qualidade e continua aglutinando, sendo o ponto de encontro de peritos e cidadãos em geral. Parabéns aos Chico e ao Héltron pela continuidade ao trabalho solitário que iniciei.

Priscilla disse...

Por gentileza, gostaria de saber como funciona a formalização dos Enunciados feitos por vocês. Preciso utilizar o Enun. 2/2012 em um processo mas não sei a fonte dele. Quem faz os enunciados, uma turma, colegiado? Há publicação deles em outros cantos ou só no blog?
Desde já agradeço.

JORNALISTAS, OS NOVOS CENSORES disse...

Prezados, bom dia!
Um funcionário teve uma queda em uma de nossas obras e fraturou o dedo anelar. Encaminhado ao INSS, teve a mão e o braço engessados e 30 dias de atestado médico. Como temos serviço médico na empresa, convocamos o funcionário para passar por exame feito por nosso médico do trabalho no dia seguinte, mas ele não compareceu alegando que tinha ido levar a esposa ao médico e passou o dia todo fora de casa. Ao comparecer no dia posterior para ser examinado pelo médico do trabalho da empresa, este deu 15 dias de atestado ao funcionário e é sua intenção que ele seja reexaminado no décimo sexto dia e se não houver impedimento, que o funcionário volte ao trabalho e seja realocado em outra atividade que em nada afete a parte lesionada e em recuperação ( também pautou sua decisão em sentença do CFM que copio o site:
http://www.portalmedico.org.br/pareceres/CFM/2012/10_2012.pdf.
É nossa intenção seguir a orientação do médico e alocá-lo executando serviços no escritório, uma vez que o funcionário não está inapto a uma série de atividades e não existe real motivo em onerar o INSS com um custo e assunto que podemos resolver internamente. O funcionário mesmo já saiu de casa no primeiro dia de afastamento, faltou a consulta, anda e circula normalmente o dia todo e exerce em casa várias atividades. O gesso na mão não o impede de inúmeras tarefas. Qual o parecer dos Srs sobre este tema?
Muito obrigado.
Marcos

Valeria Lisboa disse...

Obrigada por nos deixar a mais de 5 meses sem dinheiro para pagar nossas contas. Obrigada por nos deixar sem Natal.
Além de ter que tratar uma grave doença, ainda temos que lidar com a dificuldade financeira por não termos direito de passar na perícia e receber nosso próprio dinheiro de tantos anos de contribuição.

Não sabemos o que fazer e a quem recorrer

Delma Paula disse...

Senhores, hoje compareci as 9h30 na ag de Santana de Parnaíba, para perícia reagendada em novembro por conta da greve, meu horário seria 10h20. A Perita em atendimento estava em operação tartaruga, chamando uma pessoa por hora eu já desconfigurada de dor, por conta da cirurgia recente na coluna, por volta de 13h30 a Perita pegou a bolsa e foi embora, e os quatro otários que ficaram horas esperando, terão que voltar em março e continuarmos sem dinheiro nem para comprar os remédios.o que me dizem da atitude dessa perita?

Victor Craft disse...

Gostaria de saber:já estou apta para votar ao trabalho tenho em mãos uma declaração do meu medico se eu voltar antes da primeira perícia que foi marcada so para julho devida greve o inss pode recusar a pagar o tempo que fiquei parada?seria de quatro mese.

Victor Craft disse...

Gostaria de saber por favor alguém me ajudem estou a quatro meses afastada já to com alta médico tenho um pape constando que estou apta para voltar ao trabalho asinado pelo médico se eu voltar ao trabalho antes da primeira períciaque ssó foi marcada para junho por conta da greve o inss pode recusar a me pagar o tempo que fiquei parada estou desnortiada.

Unknown disse...

Um perito pode mudar o ramo de atividade do paciente ,minha mãe teve seu benefício negado mas quando fui ler estava escrito que ela era comerciária o que é mentira ela é faxineira empregada doméstica tenho certeza que isso interferiu em seu benefício

Ronald Acioli disse...

Em tempos de transparência...
Ao ler a notícia "CONAD vai reduzir o reajuste de 37,55% para 20%" corri para ver os números e tentar entender as mudanças capazes de permitir tal façanha, mas não os publicaram. Digo isso porque estive na Presidência do CONAD no período de out/15 a abril/16 e por mais que nos esforçássemos, todos os conselheiros, diretoria e atuário, não encontramos, nos cálculos do custeio, condições para reduzir o percentual de reajuste sem quebrar a GEAP. Vamos ver os balanços publicados no site da GEAP?
Observando as DREs de 2013 e 2014, percebemos um aumento na despesa assistencial de 15% (de 1,822 milhões em 2013 para 2,094 em 2014). Em 2015 a despesa saltou para 2,754 milhões, um acréscimo de 31,5%. Assim, os anos 2013 e 2014 fecharam positivos, mas 2015 não. Está no site o Relatório da Auditoria Independente PWC "a entidade apresentou excesso de passivos sobre ativos circulantes no encerramento do exercício no montante de 57.038 mil(*) e passivo a descoberto no montante de 198.948 mil(*). Estas situações, entre outras descritas na Nota 1b suscita dúvida substancial sobre sua continuidade operacional", ou seja, a fica a pergunta: a GEAP tem condições de continuar?!?
É por essa situação que a GEAP está sob regime de Direção Fiscal determinado pela ANS. Quando aprovamos a Res. 099/15, com os 37,55% em nov/15, tenho clareza de que o fiz com o voto de minerva, porque não havia outro número que atendesse a necessidade de sanear as finanças, conforme demonstra o Plano de Saneamento que foi entregue, pela Diretoria Executiva, ao Diretor Fiscal da ANS em 30/dez/15.
Sou servidor concursado do INSS desde 1980, desde sempre tive Assistência Patronal, CODAP e GEAP. Defendo, junto com milhares de servidores e seus familiares a solvência e manutenção da GEAP pela importância que ela tem para os servidores e familiares. Sei, contudo, que mês após mês as contas se avolumam e as receitas não são suficientes para cobrir as despesas assistencias (contas médico-hospitalares); operacionais (despesas correntes, pessoal, tributos, etc) e reservas (ANS).
Acho louvável o anúncio da redução do custeio, todavia, pode soar como demagogia, messianismo ou discurso fácil, ao não se apresentar os números e estudos. Não quero acreditar que se vai buscar equilíbrio atrasando pagamentos à rede credenciada, retardando ou negando assistência aos beneficiários. Este caminho leva a GEAP ao descrédito. O site da ANS está repleto de carteiras em alienação e operadoras em liquidação, multas por retardo ou negativa de assistência. Não creio que se queira isso para a GEAP.
E para que não deixar dúvidas, basta olhar no site da ANS. Apenas nos meses de jan e fev/16, a GEAP recebeu R$ 2.096.793,78 em multas. Se olhar o ano de 2015 o valor mais que dobra, sem contar com os montantes que são cobrados por ressarcimento ao SUS. Tudo isso impacta o custo da assistência.
Leio que vão fazer redução de gastos administrativos e de despesas judiciais. Considero importante, porém no administrativo, que representa menos de 10% da despesa total, por maior que seja o corte, não se consegue reduzir nem 5% no custeio assistencial. É simplório afirmar redução de despesas judiciais, vez que a GEAP não tem controle disso. A judicialização da saúde é fenômeno complexo que atinge a totalidade da assistência à saúde no Brasil. Não se reduz por vontade, nem por decreto.
Ronald Acioli
http://www.geap.com.br/INSTITUCIONAL/prestacao-de-contas.asp
http://www.ans.gov.br/…/t…/atas-de-reunioes-da-diretoria-ans
*(leia-se milhões)

Marcio Mqs disse...

Boa noite Heltron Xavier , poderia me dar seu emmail, gostaria de tirar uma dúvida, tentei enviar pelo email do blog mas não vai, grato.

Marcio Mqs disse...

meu outro email é marciomqs12@hotmail.com obrigado.

Marcio Mqs disse...

Boa noite,Heltron Xavier, estou com uma duvida, gostaria que me ajudasse.
Meu nome é Márcio, tenho 47 anos, eu trabalho numa empresa de bebidas e refrigerantes, de ajudante a dois anos e meio, de tanto carregar carretas de refrigerante de 3 litros 2 litros e meio , fiquei com problemas sérios na coluna , irei colocar 4 pinos 3 hastes e acho que é base de sustentação ,tem um nome estranho , que vai entre as vértebras , que não tem mais aquele líquido tipo sinovial acho,fica raspando uma na outra ,doi a bacia quando ando e passa para as pernas, e o pescoço doi , e é degenerativo ,parece que está puxando para baixo sabe, ando um pouco e quero me sentar, e depois deitar , não consigo ficar em uma posição que doi e o movimento rotativo de quadril , não consigo mais fazer de tanto carregar caminhões.,eu trabalho desde os 14 anos, e para dormir , fico acordando , ,durmo em picado,para me ajeitar, a posição para diminuir a dor, antes tomava um remédio de manipulação que tinha morfina na composição, ai meu médico me ligou e mandou parar,porquê vicia, e meu médico vai me operar agora em setembro, já está toda as papeladas no hospital, e irei passar na perícia para auxilio doença agora dia 18, meu médico ele é especialista em coluna e me disse que não posso mais fazer atividades laborais permanentemente,ele disse que depois que me operar , me daria um laudo para levar na perícia para tentar me aposentar por invalidez, gostaria de saber se os Peritos aceitam laudos assim do meu Médico e se o Perito não fica assim Bravo com isso. eu não intendo muito isso, eu na verdade estou com muito medo da cirurgia.
Gostaria de saber também , se esse laudo que meu Médico der , como tem que ser você tem um exemplo desse laudo ,assim eu daria para ele fazer igual, se o senhor tiver um modelo desse laudo que meu médico deve fazer ,ficaria muito grato.
Eu ví seu blog , achei muito bom, tirei algumas dúvidas, e fiquei com menos medo do Perito, rss.
Na verdade estou com medo da minha situação , minha Saúde e da cirurgia do que do Perito. muito Obrigado.

Ass. Márcio email- marciomqs12@hotmail.com

Valdir Alves de Andrade disse...

Passei por uma perícia no judiciário, porém o laudo consta procedimento o qual eu não fui submetido e inclusive eu fazia uso de uma bengala e no laudo diz o contrário, o que devo fazer?