sexta-feira, 15 de junho de 2018

NO INSS, DAR UM "DESPACHO" GANHOU OUTRO SIGNIFICADO...

Em tempos de tabuleiro inssano, os servidores precisam tomar cuidado com os termos que usam no seu dia a dia institucional.

Após a notícia de que um macumbeiro irá cuidar de toda a carteira de benefícios do INSS, os servidores estão preocupados em ferir a nova ética (5 letras) mística da autarquia. Por isso este blog vem para ajudá-los a se comunicar nessa nova era energética do INSS.

Cuidado quando você disser que irá dar um "despacho" em um processo, pois esse termo pode ganhar novo significado a partir da posse de Lucius Lettieri na DIRBEN.

Se você estiver em uma "encruzilhada" para tomar uma decisão, não diga nada e saia de fininho, pois poderá despertar forças ocultas indesejadas.

Pessoal da DIROFL, CGTIC e CGPGE, cuidado quando forem escrever no processo que pretendem "incorporar" alguma coisa, pois pode ser que venha a pomba-gira passando o rodo no departamento.

O termo "vou despachar essa incorporação" está proibido. Altamente perigoso.

Jamais falem que irão "dar uma passada" em tal lugar e evitem dizer que irão "baixar" alguma coisa de algum local.

O INSS Digital será substituído pelo INSS Paranormal, que terá capacidade "do além" do normal para arquivar dados e desburocratizará o processo aceitando documentos psicografados, testemunhos incorporados e seguirá a sorte dos búzios na decisão dos casos.

Usem sempre branco, evitem vermelho e obedeçam o uso das guias de umbanda corretamente. Para isso, o INSS irá publicar uma Resolução com um Guia para Usar as Guias no Trabalho.

E muito, muito cuidado para não tropeçar no ebó que foi despachado nas esquinas das unidades previdenciárias.

Saravá.

Nenhum comentário: