sexta-feira, 16 de outubro de 2015

RODA VIVA INSSANA...

Enquanto o Ministro Rossetto prepara a nova equipe para assumir o INSS, o blog antecipa a quantas andam os nossos atuais diretores nessa dança das cadeiras previdenciárias....


Super Secretário Gabas - Cargo aspone, sem nenhum poder. Com medo da perda do foro privilegiado e com o Juiz Moro em sua cola, será difícil achar o supersecretário na esplanada nas próximas semanas. Agora que o caso Bancoop foi reaberto em São Paulo, o pânico se espalhou entre ele e seus amigos.

Presidente Elisete Berchiol - Será exonerada. Só um milagre a manterá em Brasília pois sem poder, Gabas terá dificuldade em mantê-la na capital federal. Talvez role uma assessoria especial. Senão seu destino será Araçatuba, que a espera de braços abertos, para um abraço de urso. Mesmo destino terão seus apadrinhados Auditora-Geral Sueli e Corregedor Silvio Seixas.







Diretora Cinara Fredo (DIRBEN) - Será exonerada. Sem apoio político e com a perda de poder de seu padrinho Lindolfo Sales, Cinara deverá encerrar sua jornada em Brasília e voltar a Curitiba, onde uma extensa agenda de habilitação de LOAS e Salário-Maternidade a espera. Não fez nada durante seu período em Brasília e mesmo se quisesse ter feito foi boicotada pelas viúvas do Brunca.






Diretor Mário Sória (DIRAT) - Será exonerado e devolvido aos moldes "Ana Adail".








Diretor Sérgio Carneiro (DIRSAT) - Na lista de exoneração, tenta se salvar com contatos junto ao PT-SP. Fará o diabo para não ter que voltar a trabalhar como servidor comum.









Diretor José Nunes (DGP) - Provavelmente será salvo por suas ligações com o PT-CE, pedido de senadores e pela importância do cargo. Seu trabalho é elogiado por setores do PT e do próprio INSS.







Diretor Lenílson Araújo (DIROFL) - EM sendo o INSS uma autarquia sem orçamento, finanças nem logística, trata-se de uma diretoria inútil. Mesmo assim será substituído.







Procurador-Chefe Stefanutto - Vai rodar. Desde que o PSB foi para a oposição ele perdeu boa parte de seu lobby político. Os que o colocaram no cargo agora fingem que não o conhecem. Todos os procuradores do INSS pediram exoneração dos cargos. Tentou dar uma passada de perna e assumir a PGF, sem sucesso. Perdeu todas as ACP ao qual o INSS foi intimado. Sua má fama na AGU só é superada pela a do chefe "Luis da família Adams"




Secretário de Políticas Previdenciárias Brunca - Com a reorganização da hierarquia do Ministério, deve ficar sem secretaria. Está articulando, com razoável sucesso até agora, seu retorno à DIRBEN. Tenta emplacar seus subordinados Paulo Rogério e Marcos Perez na DIRSAT.



Um comentário:

Paulo Castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.