quarta-feira, 2 de abril de 2014

PLANTA CARNÍVORA ABATE DIRETOR BRUNCA

Muitos diretores e membros da alta cúpula inssana moram em blocos próximos em Brasília. Muitos destes blocos se situam a SQN 309, onde por coincidência moram no mesmo prédio Benedito Brunca, o que teve a cabeça cortada da DIRBEN, e Cinara Fredo, DIRAT que vai assumir a DIRBEN.
 
Para evitar encontros desconfortáveis, soubemos que Cinara anda usando as escadas do prédio para entrar e sair do seu apartamento pois tem medo de encontrar Brunca no elevador. O que muitos desconhecem é que até antes do anúncio do golpe que o derrubou, Brunca era muito preocupado com Cinara que por sua vez deixava as chaves de seu apartamento com Brunca, vejam só.
 
Brunca ia no apartamento da Cinara para regar suas plantas enquanto ela viajava para Curitiba para ficar com sua família.
 
O que Cinara esqueceu de dizer a Brunca é que essas plantas deviam ser Carnívoras, pois Brunca andou descuidando de sua retaguarda e enquanto regava-as, foi papado pelas plantas da Cinara.
 
REVOLTA COLETIVA
 
Recebemos neste blog dezenas de mensagens de servidores revoltados com a queda de Brunca. Apesar de ainda estarem desorganizados, um nada desprezível grupo de servidores promete levantar barricadas em defesa de seu mestre e tutor. Um ensaio de um ato de repúdio ao Presidente Lindolfo e à Diretora Cinara pela queda de Brunca está sendo discutido dos corredores do oitavo andar e surpreendentemente em outros andares.
 
BALANÇA, MAS NÃO CAI?
 
O edifício onde moram Brunca e Cinara também moram outros personagens importantes, como a vice de Brunca (Ana Adail) e um subprocurador. Por isso era conhecido como "balança, mas não cai" devido à longevidade de Brunca no cargo. Agora moradores estão em pânico pois parece que vai cair.
 
JUSTIÇA TRICOLOR
 
Piada na antesala da PFE diz que Benedito Brunca vai contratar o advogado do Fluminense para evitar a sua queda da DIRBEN...
 
300 DE ESPARTA
 
A DIRBEN resiste e monta um paredão para tentar evitar a consumação da queda de Brunca. Sua nomeação ao cargo de Secretário de Políticas do MPS ainda não saiu pois dizem que Brunca, após 11 anos de serviços prestados em Brasília, não admite ser largado em uma sala do MPS.
Muitos lembram que Brunca saiu de Cuiabá, 11 anos atrás, para ajudar na compensação previdenciária e formou um verdadeiro império de servidores leais que o ascendeu ao cargo máximo no INSS (mais importante que a própria presidência, conforme este blog já postou).
Refez sua vida pessoal na DIRBEN, encontrou companheira na DIRBEN, sacrificou sua vida pelo INSS, saindo altas horas da noite, distribuia ovos de páscoa ao baixo clero, conhecia pelo nome todos os porteiros do INSS, tinha seu chá preferido reservado na presidência onde seu garçom favorito preparava com todo carinho durante esses anos todos.
O sentimento de injustiça e revolta está grande e esses servidores clamam por justiça. Não será fácil a vida de Lindolfo e Cinara, que jocosamente estão sendo chamados por esses funcionários de Xerxes e Artemísia.
 
UM POÇO ATÉ AQUI DE MÁGOA
 
Não fale em Carlos Gabas na frente de Benedito Brunca por esses dias. Fiel aliado do comissário, Brunca teria se sentido traído e abandonado pelo Secretário-Executivo, que aparentemente nada fez ou pode fazer para evitar seu debacle. A imagem do secretário ficou arranhadíssima junto aos servidores do INSS e sua aura de força e soberania está abalada em definitivo. Se Brunca caiu, dizem, o que impede a queda de Gabas?
 
A PRÓXIMA VÍTIMA
 
Servidores lembram: Na posse de LIndolfo, eram diretores: Brunca, Verusa, Cinara, Pedro e Nunes, com Stefanutto de PFE. Logo depois,  Verusa caiu, Pedro caiu e agora Brunca caiu. Cinara acumulou cargos dela e de Brunca e por isso está fora da lista. Sobraram Nunes e Stefanutto. Quem será o próximo?
 
QUERIDO ATÉ NA EXONERAÇÃO
 
Benedito Brunca participava de toda a vida inssana, um verdadeiro poder dentro do poder, uma eminência parda. Um dos momentos em que sua presença era sempre vista era o das exonerações, onde ativamente Brunca fazia comentários, pedia cabeças e salvava cabeças. Sempre teve razoável sucesso nas tratativas e ainda ia na festa de despedida da pessoa que ajudou a exonerar, tirava foto com o exonerado que levava a imagem para sua lotação de origem como se fosse um troféu. Tentou, segundo fontes, ativamente colocar pra fora o SR-IV, João Maria, além de Manuel Dantas da JRPS, mas esses foram salvos por Lindolfo. Durante a invasão à APS Tauá, fez duríssimas críticas ao SR-IV.
Conhecido como acalentador dos exonerados pois todos os de baixo escalão que eram mandados embora de Brasília iam chorar em seu ombro, pedir intervenção, que via de regra era negada mas o exonerado saia de sua sala sempre com um bom conselho e uma foto do diretor, que ia na festa de despedida e fazia discurso e acabavam se tornando informantes e colaboradores de Brunca.
Em alguns casos Brunca fazia questão de segurar, como por exemplo a ex-gerente executiva de Porto Alegre, Sinária Pastorio, que conseguiu se manter graças ao poder de Brunca, mas quando Hauschild finalmente conseguiu derrubá-la, passou a contar com o apoio do próprio Brunca dizendo que o presidente tinha razão.
 
MPS VIRA ASILO DE EXONERADOS DO INSS
 
Virou moda a pessoa ser exonerada de cargo no INSS e conseguir uma vaga de consolo no MPS, que já está sendo chamado de "asilo dos exonerados", como se fosse uma espécie de pirâmide inssana que abriga os corpos mumificados dos antigos reis, dando-lhes assim posição de destaque ("DAS") entre os comuns. O asilo seria necessário para manter os apartamentos, o celular, o motorista, etc.
 
A ESFINGE
 
Piada diz que se for para o MPS, Brunca não será um Faraó mumificado e sim a Esfinge, pois era conhecido por ser "enigmático" pelas altas autoridades inssanas, que temiam seu poder junto ao baixo clero.

BODE EXPIATÓRIO

Quem conhece o INSS não tem dúvidas: O objetivo de decepar Brunca é achar um bode expiatório em ano eleitoral para o fracasso coletivo da Diretora do INSS em conduzir de forma eficaz e eficiente a autarquia previdenciária. Agora do atraso do processo de remoção do servidor à guerra da Criméia, passando pela seca em São Paulo e enchentes na Amazônia, TUDO será atribuido ao "desgaste" de Brunca na DIRBEN, justificando assim sua demissão. Com isso, ganham um tempo e fôlego para suportar as crescentes críticas que só aumentarão até outubro, nas eleições. As pessoas que defendem essa tese explicam que Gabas teria participado do putsch justamente por isso, uma vez que ele vem sendo alvo de uma rajada de denúncias das mais diversas ordens. A saída de Brunca dá a fumaça necessária para esconder a gestão ineficiente do INSS.

AH TÁ, AGORA SIM...

Ao dizer que teve apenas uma hora pra escolher o que ia fazer, após ser anunciado que seria exonerado, Brunca comoveu centenas de servidores, mas pelo menos foi melhor que na sua exoneração prévia em meados da década passada. Nesse da ele soube ao ler o DOU. Agora ao menos deram uma hora.

Um comentário:

Vandeilton disse...

Ué, até parece que o Brunca é seu amigo. Para mim, já foi tarde!