terça-feira, 11 de junho de 2013

MAIS UMA BOBAGEM DE FLÁVIO DINO - JUIZ SERIA "MÉDICO".

Autor da proposta é Flávio Dino, presidente da Embratur. Ele fez a sugestão em razão da morte de seu filho Marcelo, em fevereiro do ano passado....

Varas para erros médicos

O Conselho Nacional de Justiça avalia hoje proposta de criação de varas judiciais especializadas em direito médico para julgar processos de erros cometidos por esses profissionais. Autor da proposta, o presidente da Embratur, o ex-deputado federal Flávio Dino, fez a sugestão em razão da morte do filho dele, Marcelo, em fevereiro do ano passado. O menino de 13 anos morreu no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, depois de dar entrada com uma crise de asma.

“O Judiciário fica refém dos peritos”, avalia Dino, justificando sua proposta. “Se um juiz julga caso de direito médico, ele acaba ficando na mão do perito, que é um médico. É como um médico julgar outro médico”. Por isso, ele disse acreditar que a especialização levará o juiz a ter um conhecimento suficiente para não ficar refém de peritos e dará velocidade a esses casos.

“Se temos varas especializadas para outras questões, como acidentes de trânsito, meio ambiente e execuções, por quê não para o maior problema nacional, que é a saúde?”, questionou.

NOTA DO BLOG: Como assim? Por ver vários casos o Juiz viraria médico e não dependeria do seu perito de confiança para analisar matéria médica??  O Dr. Dino acha que numa vara de saúde o Juiz não iria pedir um perito para analisar o caso? Será que ele tá vendo essa novela da Globo que a instrumentadora diz que pode fazer a cirurgia pois "já viu muito"??

Enquanto o turismo afunda no Brasil em plena época de Copa do Mundo, o presidente da Embratur fica elucubrando sandices sem fim para aplacar a dor da perda de seu filho, num processo onde os maiores especialistas em medicina intensiva pediátrica do Brasil analisaram e não acharam culpa da médica.

Ao dizer que o Juiz fica "refém" do perito, além de ofender a classe ao qual pertence, deixa bem claro que sua raiva é contra os médicos em geral. Para Dino, um país perfeito será um país sem médicos, pois em sua concepção perturbada todos são mafiosos e assassinos.

Dr. Dino acha que seu filho, mesmo internado em uma UTI, não tinha como morrer. Então o que fazia ele numa UTI? 

A sanha persecutória atinge seu pico ao querer desmerecer que médicos julguem médicos. Então vamos acabar com os Conselhos Regionais, que tal?

Será que o Dr. Dino acha então que o CNJ que ajudou a criar e onde tenta emplacar essa idéia esdrúxua não tem competência para julgar juízes, pois seriam juízes julgando juízes? E o CNMP não poderá mais julgar procuradores da república?

Enquanto isso....

ESTADÃO 11/06/13"São Paulo - O Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério Público Federal (MPF) assinaram parceria para averiguar atividades médico-assistenciais, principalmente no sistema público, em todo o Brasil. O convênio será realizado por meio dos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e integrantes do MPF nos Estados, que deverão realizar inspeções em conjunto, apreciar conclusões de pareceres e formar instrumentos para o trâmite dos documentos.
De acordo com o CFM, anomalias deverão ser alvo de denúncias e início de ações ético-profissionais nos conselhos ou em outras áreas, por falta de responsabilidade na administração dos serviços. "Para nós, é motivo de grande satisfação estreitar esse relacionamento com os Conselhos de Medicina. Temos certeza de que podemos, juntos, contribuir para aprimorar os serviços de saúde e assistência médico-hospitalar no Brasil", afirmou o subprocurador geral da República Eitel Santiago de Brito Pereira, ao anunciar a parceria na 1.ª Câmara de Coordenação e Revisão Constitucional e Infraconstitucional do MPF."


Ou seja, quem quer de fato faz a coisa correta. Dr. Dino está se matando, matando o turismo e ajudando a piorar aquilo que ele mesmo chama de "pior problema do país". Que tal bater na porta de sua chefe, a Presidente, e cobrar dela as medidas de saneamento da saúde que o Brasil tanto necessita?

Tenho pena do médico que estiver de plantão no dia que Dr. Dino der entrada passando mal. É caso de habeas corpus preventivo para poder iniciar o exame médico.

2 comentários:

Herbert disse...

O problema é: quem vai aceitar atender tal pessoa? Esse senhor passa de todos os limites do aceitável. Parece que está sofrendo de alguma doença psiquiátrica grave. Parece que precisa de ajuda. Quem estiver próximo a ele, que o ajude. Mas quero ver qual médico, em sã consciência, atenderia uma pessoa dessas. Obsessivo é pouco. Que coisa mais estranha...
Na linha dessa genialidade jurídica, teremos juízes físicos nucleares, engenheiros, pilotos, cozinheiros, psicopatas (pois para julgar um psicopata, sem um psiquiatra no meio, como perito, o juiz ou é psiquiatra ou psicopata também)... Putz, que loucura tudo isso.

Aquino disse...

Eu o atenderia de acordo com os preceitos éticos e corretos da medicina a que me propus fazer... E quanto a juizados especializados, também concordo, pois facilitaria em muito a inocência rápida daqueles q de alguma forma estão envolvidos em processos médicos, mas q não tem culpa, porém ficam anos aguardando para terem sua inocência confirmada!